Análise Técnica do Calderon, Estratégias de Investimento, Opções

Análise Técnica Vale5 – 17/01/2012

Conforme planejado, levei minhas ValeA42 até o dia do exercício e elas viraram pó. Então hoje seria o dia de planejar o meu próximo lançamento sobre as Vale5. Vamos ver o que me diz a AT sobre minha posição:

A Vale5 tem uma tendência primária (curto prazo) de alta, iniciada no fundo de 19/12 e já contemplando fundos e topos ascendentes desde então. No médio prazo, o papel segue sem tendência desde outubro, quando começou a andar de lado.

Voltando para o curto prazo, a resistência imediata está nos 40,70-40,90, que já foi testada no início de dezembro e no início de janeiro, sem conseguir rompimento.

Esta configuração no curto prazo que combina topos num mesmo nível formando uma resistência e uma LTA é também conhecida como flâmula de alta.

Os candles dos dois últimos pregões têm as seguintes características: 1) fecharam o gap deixado em 03/01; e 2) encostaram na LTA. O canlde de ontem é uqase um marozobu de alta. O IFR no momento se encontra em torno de 50.

Temos, portanto:

– Tendência de alta no curto prazo

– Sem gaps de baixa para ser fechados

– Candle de alta tocando na LTA

– Figura de alta formada

– Resistência 4,07% acima do fechamento de ontem

– IFR sem definição

Para mim, esse conjunto de características indica compra com objetivo inicial nos 40,90 e próximos nos 41,60, 42,50 e 43,10. Perde a tendência com fechamento abaixo da mínima de ontem (38,65), onde deve buscar os 37,65 e 36,80.

Minha estratégia para lançamento agora é a seguinte:

1) Se confirmar o fundo e seguir na tendência de alta: aguardar papel chegar aos 40,00 ou IFR chegar em 70 (o que ocorrer primeiro) e lançar ValeB41 (strike em 41,00) ou ValeB42 (strike em 40,14)

2) Se perder a LTA: aguardar confirmação da perda de suporte e lançar ValeB40 (strike em 39,07) acima de 1,00 ou ValeB42 acima de 0,50

É esperar pra ver…

Vamo que vamo!

Abs

Anúncios
Ações, Análise Técnica do Calderon, Operações Realizadas

Rolar ou Não Rolar, Eis a Questão

Estou lançado na PetrA23 em 60% das minhas Petr4 (strike em 22,49) e, segundo meu planejamento, hoje seria o dia de fazer uma rolagem para a PetrB24, que me deixaria confortável em relação ao strike (não estou querendo lançar a PetrB23…)

Pois até agora minha ordem de recompra não saiu. Tinha colocado a ordem em 0,41 e foi até 0,43. Mercado todo caindo e a Petr4 se segurando. Se fosse fazer a rolagem agora teria que colocar 0,17 por ação, então resolvi olhar o que a AT nos diz sobre a Petro para tomar minha decisão de rolagem.

Muito bem, no gráfico diário o papel vinha em tendência de alta desde que rompeu os 20,70 em 27/10/11, com confirmação no dia seguinte. Nesse movimento, deixou um gap ainda aberto em 19,88. Daí em 26/12 fez um topo mais baixo que o topo anterior, perdendo a tendência de alta e parecendo desenhar um O-C-O, mas este foi desmontado pelo candle de 03/01/12 e a partir de então o papel vem num mini rallie de alta, mas sempre com pequenas variações no intraday.

A situação atual da Petr4 à luz da AT é a seguinte: papel sem tendência definida e com forte resistência nos 23,30 que vem desde jun/11 e já foi testada 3 vezes. IFR em 68.

A partir desta análise, resolvi fazer a aposta de que o papel vai sentir a resistência e recuar novamente nos próximos dias. Portanto, minha decisão foi de não mais fazer a rolagem hoje. Vou aguardar a segunda-feira (dia do vencimento) e, caso não seja possível fazer a rolagem ao par, minha opção vai ser pelo exercício, até a definição do papel: se furar e confirmar, recompro as ações numa quantidade menor e aguardo momento para realizar o lançamento. Se recuar dos 23,00, aguardo para recomprar abaixo dos 22,49 numa quantidade maior e faço o lançamento imediato da B24.

É isso aí. E vamo que vamo!!!

Abs.

Ações, Análise Técnica do Calderon, Estratégias de Investimento

Acompanhamento de Análise Técnica – Vale 5

Dia primeiro fiz um post falando sobre a substituição no comando da Vale e aproveitei para fazer uma análise técnica relâmpago, relembrando os velhos tempos do blog.

Comentei que o papel vinha em tendência de baixa no curto prazo e um repique altista no curtíssimo com objetivo no fechamento do gap nos 48,71, abrindo a possibilidade de operar uma compra num tiro curto e stop loss nos 46,20. Com o papel em 47,50, era possibilidade de ganho de 2,5% com risco de perda de 2,7%. Particularmente, por ser contra a tendência, eu não teria aberto naquele momento. Talvez na confirmação do fundo aos 46,90, com uma relação risco-retorno melhor, eu me entusiasmasse mais.

Mas pra provar pra gente que a análise técnica é um instrumento que possibilita aumentar estatisticamente o número de vezes que se ganha e limitar o montante das perdas pelo stop loss, neste momento o papel chega nos 48,48 o que, do ponto de vista técnico, pode ser considerado o fechamento do gap. Se eu estivesse comprado agora eu fecharia minha posição com ganho de 2,0% em 4 dias e passaria a observar. Pode até ser que suba um pouco mais, mas só voltaria a operar curto prazo agora quando confirmar topo, abrindo posição vendida com objetivo inicial nos 45,60-45,70 (principalmente se o topo for mais próximo da resistência dos 49,90) e final nos 44,60, que é o limite inferior dessa congestão.

Vamo que vamo!

Abs.

Ações, Análise Técnica do Calderon

Substituição no Comando da Vale. O que esperar?

Recebemos o comentário do Dr. (quase Mestre) Foronda sobre qual seria nossa perspectiva em relação à substituição do Roger Agnelli no comando da Vale. Ele pergunta o que esperar para o futuro e se o papel deve ficar martelando nos 48,00.

Pois bem, eu acho que esse processo todo abriu boas oportunidades para compra. O Roger é muito bem visto pelo mercado e sempre que ocorre uma mudança de direção com saída de bons executivos, o mercado reage. Um bom exemplo é a história do Gabrielli na Petrobras: quando ele foi indicado para a diretoria financeira da Petrobras os papéis sofreram muito, pois ele era um cara do PT, do meio acadêmico, e o mercado entendia a indicação dele como ingerência política sobre a área financeira da empresa. Como os fundamentos se mantiveram os mesmos e o Gabrielli mostrou-se bastante técnico e ortodoxo, os papéis logo se recuperaram. Quando ele finalmente foi indicado para a Presidência da empresa os papéis até subiram.

Na minha opinião, os fundamentos da Vale não mudam absolutamente nada, com Roger ou com quem quer que seja. Acho que um cara com bom trânsito no Planalto numa empresa da magnitude da Vale é até bem importante para aliviar algumas pressões arrecadatórias e fiscalizatórias sobre a empresa. Com isso, e como é um dos meus papéis preferenciais para longo prazo, eu mesmo comprei um pouco a 45,xx, um pouco a 46,xx e estou ensaiando mais uma comprinha agora nos 47,xx. Um pouco mais de fundamentos, só mesmo com o pronunciamento do Mestre…

Do ponto de vista técnico, o papel confirmou fundo em 44,60 e hoje está fechando o primeiro gap em 47,51 deixado no dia 10/03. Ainda tem o gap de 48,71 deixado em 09/03 pra ser fechado, que seria o objetivo nesse repique. Digo repique porque a tendência permanece de BAIXA no curto prazo desde o próprio dia 09/03, quando perdemos o fundo. No médio prazo estamos sem tendência, numa enorme congestão que vai dos 39,80 aos 53,60. No longo prazo a tendência de alta está mantida e testamos agora em março a LTA iniciada em dez/2008, que no meu gráfico passa nos 44,66.

Tendência de alta no curto prazo novamente só quando passarmos dos 49,90, o que me parece um pouco longe. No gráfico de tempos mais curtos o IFR mostra-se sem tendência (em 50) e os volumes estão um pouco menores que a média. Se pegarmos os últimos 10 pregões, o papel parece estar numa congestão de curtíssimo prazo entre 46,20 e 47,52. Acho que tem força pra ir fechar o gap nos 48,71, mas parece ser difícil quebrar a tendência de baixa sem dar outra respirada de novo.

Pra quem está fora, se quiser operar um repique no curtíssimo, vale a compra com objetivo nos 48,71 e stop loss nos 46,20. Pra quem quer surfar a tendência no curto, o melhor é permanecer fora até uma definição: se fizer novo topo abre venda e surfa na baixa; se furar os 49,90, aguardar o pullback e formação de novo fundo acima do fundo anterior pra aí então comprar e aproveitar a inversão de tendência para alta. Para o longo, o papel continua dando compra.

E nunca se esqueçam: VAMO QUE VAMO!

Abs.

Análise Técnica do Calderon, Opções

AT do Calderon

Olá pessoal. Faz tempo que não faço um post de AT, né? Vendo os últimos comentários do blog, me deparei com a dúvida do Marcelo, que me estimulou a fazer este post. Olhem só:

Boa noite, a Vale5 com essa queda já permite uma trava de baixa? O que vc acha?
Valee52 compra e venda Valee50.

Obrigado.

Respondendo ao Marcelo, agora ainda não me parece um bom momento. O papel perdeu o (fraco) suporte de 48,00-48,10, mas ainda não perdeu o (importante) suporte nos 47,51, que aliás, foi a mínima cravada do dia de hoje. A tendência a ser surfada é de baixa após a perda do suporte, não antes.
Outros sinais técnicos para ficar com uma pulguinha atrás da orelha antes de abrir posição short na Vale: o IFR entrando na área sobrevendida (abaixo de 30); o gap de baixa deixado; e o candle de hoje, com uma cara desgraçada de bebê abandonado. Este candle é um candle importante de reversão, que pode dar um sinal interessante para um setup.

Se eu fosse fazer uma aposta, apostaria muito mais num repique do que na continuação da queda no curtíssimo. Independentemente do que vá acontecer mais pra frente. De qualquer maneira, o setup deveria ser o seguinte:

– Fechamento de amanhã abaixo de 47,51: tecnicamente deveria aguardar o próximo pregão para confirmação da perda do suporte, mas poderia abrir posição vendida de curto prazo com stop curto também, no fechamento de hoje.

– Fechamento de amanhã acima da máxima de hoje, principalmente se deixar um gap de alta: abriria posição comprada para aproveitar o repique, com stop na máxima de hoje (ou seja, respeitando o fechamento do gap) e objetivo nos 49,50.

Última coisa: cuidado com os prêmios de opções e travas, pois eles costumam ser proporcionais ao risco. Os 0,70 de spread da trava parece ser interessante, mas faltando mais de 60 dias pro vencimento… sei não.

Vamo que vamo!!!

Abs,

Análise Técnica do Calderon

Operações em 20/04 (Continuação de 16/04)

Hoje concluí minhas operações do mês.

Quem acompanhou, viu que eu mirei nos 1,8% e tava ficando com 0,7%. Mas hoje deu tudo certo e acabei lavando a égua!!! Quem torceu contra, pode chorar: resultado de 2,31%, estando ITM na Vale e ATM na Petro. Meu número de ações aumentou em 17% e agora estou posicionado preferencialmente em Petro.

Pelas perspectivas e pelo calor que levei, acho até que foi um bom resultado.

Vamo que vamo!

Abs,

Análise Técnica do Calderon

AT em 16/04

Petro confirmou a análise da semana passada, mostrando perda de força na compra e rompendo a flâmula pra baixo. A tendência terciária agora é de baixa, com dois topos descendentes e o segundo fundo (ainda não formado) abaixo do fundo anterior. Agora é venda na cabeça.

Pelo CTS, o papel abriu venda em 12/04, quando fechou em 34,39 (abaixo dos 35,00 relatados no post anterior). Quem operou pelo CTS viu seu objetivo de 33,26 ser atingido hoje e botou 3,3% no bolso. Como não respeitou esse suporte e, ainda por cima, fechou abaixo a linha inferior do canal de baixa, a posição continua sendo vendida, com objetivo nos 32,70, 32,48 e 31,77. O segundo objetivo é a margem inferior da LTA iniciada em abril de 2009. Caso venha a perdê-lo, perde-se a tendência primária de alta no papel e ele entra numa grande congestão. Primária de baixa só se furar os 28,80, tá longe. Mas se perder o terceiro suporte (31,77) já entra em secundária de baixa.

O volume hoje foi muito expressivo, em contraste com os últimos pregões, o que dá força ao movimento. O stop está curtinho: é aquele próprio suporte de 33,26, que agora vira resistência. Fechamento acima encerra a venda. Com o fechamento de hoje em 32,88 o risco é de 1,15% se stopado. Os objetivos nas resistências citadas dão 0,54%, 1,21% e 3,38%. Vale lembrar que são resistências importantes e o IFR está entrando no campo da sobrevenda, abaixo de 30, o que pode fazer com que a transposição delas não seja tão simples ou até nem aconteça. Dedo no gatilho do stop. Se fechar acima dos 33,26 e confirmar no pregão seguinte, os mais ousados podem querer operar contra a tendência aproveitando o repique. O objetivo passa a ser os 34,11 e 34,52, com stop nos mesmos 33,26. Não recomendo operar assim, mas fica a análise.

Na análise de 09/04, tinha falado que a Vale tinha poucas fracas resistências até ir buscar seu TH. Aqui cabe uma correção. Já falei pra vocês que minha ferramenta gráfica não é a melhor para fazer as AT, mas tento compensar isso com uma análise caprichada. Porém, como faz muito tempo que a Vale não chegava nestes valores acima de 50,00, tive que reconfigurar o gráfico pra poder ver: somente no gráfico de 3 anos foi possível observar as verdadeiras resistências do papel até o TH. Como parte do mea-culpa, vou fazer uma lista completinha das resistências até o TH:

51,70, 52,20, 52,90, 53,25, 54,00, 54,70, 55,30, 56,69, 58,70, 59,22

Em negrito estão as resistências mais importantes, seja pela conformação gráfica, seja pelo volume.

Desde a última análise, em que disse que abriria compra com fechamento confirmado acima de 51,00, o papel fez dois fechamentos abaixo dos 51,00 (50,75 e 50,95), sendo o último um doji meio cambeta, mas que se tivesse um fechamento abaixo no dia seguinte poderia configurar o repique. Depois fez dois fechmentos acima dos 51: 51,34 no dia 14 e 51,20 no dia 15. Neste dia, apesar do doji e de ter fechado abaixo do dia anterior, teria dado compra com objetivo nos 51,60 e stop nos 50,66 e a operação teria sido stopada hoje no fechamento, a 50,55, com perda de 1,27%.

Mais uma vez a Vale fecha a semana exatamente em cima da definição. O candle de hoje repousa solenemente em cima da LTA inclinadíssima iniciada em 05/02. Ontem e hoje os volumes foram bastante superiores, notadamente onte, que foi o dia da formação de um doji de livro. Pode ser o ensaio de um repique. Se furar a LTA, acredito que vem buscar o (fraco) suporte de 49,80, sendo as próximas paradas os 48,20 e 47,80. Só compromete a terciária de alta se perder os 46,86. Como isso está muito pouco provável de acontecer, o papel segue aperreado na compra, a qual agora só realizaria se furar os 51,70, objetivando os 52,20 e 52,90. Ganhos de 0,96% e 2,32%, respectivamente. Stop loss nos próprios 51,70.

Se fosse operar o repique (o que não recomendaria), abriria venda se fechar abaixo do fechamento de hoje, rompendo a LTA, com objetivo nos 49,80 (1,38%) e stop nos próprios 50,50 de hoje.

Bons trades a todos.

E vamo que vamo!

Abs,